Do Lambe-lambe

Os tigres

os-tigres-jornal-retro
  • Ao mar

    Nos tempos em que não havia saneamento, essa era a forma de se livrar de fezes e urinas em plena capital do Brasil, o Rio de Janeiro, no século XIX. Escravos – apelidados de tigres – carregavam grandes tonéis cheios de excrementos pelas ruas, para despejá-los na calada da noite em praias e valas. A ilustração foi publicada pela Semana Ilustrada, em 1861.

Fonte: Semana Ilustrada

Biblioteca Nacional

os-tigres-2-jornal-retro
  • Sobre a cabeça

    Há duas explicações para o apelido dado aos carregadores dos dejetos residenciais, ambas plausíveis. A primeira é de que o cheiro que vinha dos recipientes era tão terrível que fazia qualquer um sair correndo ao ver um carregador, como se fugisse de um tigre. A segunda, mais triste, dá conta que o carregamento comumente transbordava, com o conteúdo escorrendo e formando listras pelo corpo dos pobres escravos – que algum gaiato associou aos tigres. Essa ilustração da Semana Ilustrada, de 1861, caracteriza os carregadores com a cabeça do felino.

Fonte: Semana Ilustrada

Biblioteca Nacional

passeio-publico-jornal-retro
  • Passeio público

    Em mais uma ilustração da Semana Ilustrada, também de 1861, os tigres são retratados despejando as “águas servidas” no mar, ao lado de onde circulavam mulheres de longos vestidos e homens de fraque e cartola, no centro do Rio de Janeiro. No destaque, o rosto de um sujeito tapando seu nariz avantajado indicava a solução para conviver com a situação.

Fonte: Semana Ilustrada

Biblioteca Nacional

Siga-nos!