Editorial

á pouco mais de cem anos Joinville vivia sua primeira experiência no transporte público, na forma dos românticos bonds puxados a burro, que cruzavam a atual região central da cidade em trilhos construídos sob medida para eles, em duas linhas distintas e com uma frequência surpreendente - de 20 em 20 minutos. A partir de janeiro de 1911, por 100 réis já era possível ir até a “Estação do Vaporzinho” ou à Estação Ferroviária sem maiores esforços, confortavelmente acomodado nos vagões.

 

O serviço era obra da Grossenbacher & Trinks, a mesma companhia que tinha sido responsável pela instalação do telefone na cidade, quatro anos antes (Leia mais na Edição 36 do Jornal Retrô) . Mas além das dificuldades financeiras em manter os bonds circulando, um acidente punha em risco as linhas telefônicas, como se vê em Deu no Jornal.

 

Em Acredite se Puder, um mystério de que o leitor nem suspeitava é desvendado, revelando que práticas pouco éticas presentes até hoje na imprensa brasileira vêm de longe.

Jornal Retrô - Boa leitura!
Jornais de época do Arquivo Histórico de Joinville

Siga-nos!