Editorial

ma semana depois de o Brasil ter declarado guerra à Alemanha, os primeiros efeitos diretos sobre o dia a dia dos imigrantes e seus descendentes começavam a ser sentidos. Havia um temor mal definido por parte dos governantes e das elites já estabelecidas antes da chegada dos primeiros colonos de que esses “alemães” pudessem optar pela lealdade à pátria europeia, trazendo o conflito para dentro do território brasileiro - até mesmo com a hipótese do estabelecimento de uma colônia germânica de fato em solo sul-americano.

 

Assim, do dia para a noite, as sociedades alemãs deviam fechar suas portas, escolas não podiam mais ensinar em alemão, letreiros na língua estrangeira estavam proibidos e os marinheiros dos navios germânicos confiscados que estavam em Joinville (SC) deviam ser detidos e levados a Florianópolis – este é o assunto dessa edição em História ao Vivo.

 

A guerra teria influência na vida de toda a população de origem alemã, mas alguns perderiam mais. Como um café pode funcionar sem seu confeiteiro? Veja em Deu no Jornal.

 

Em Acredite se Puder, um preparado prometia fortalecer os nervos e prolongar a vida, apelando até para a ajuda de uma deusa egípcia.

Jornal Retrô - Boa leitura!
Jornais de época do Arquivo Histórico de Joinville

Siga-nos!